Desista de não pensar em nada

Uma das crenças mais comuns a respeito da Meditação é de que com ela conseguimos parar de pensar. Depois de tentar meditar sozinhos em casa, muitos dizem “não consigo não pensar em nada”. Este é um dos grandes mitos que ainda existem sobre essa prática milenar. Segundo pesquisas, estima-se que temos entre 50 a 70 mil pensamentos por dia. Incrível, não? Seria então possível, de uma hora para a outra, interromper os processos mentais?

Só o fato de ter que controlar pensamentos de repente já seria uma grande ilusão, se considerarmos o complexo funcionamento do cérebro, como um órgão tão importante, que regula todos os nossos sistemas corporais e recebe uma enxurrada de informações a cada instante através de nossos sentidos. Além disso, cada um tem sua história, traumas, crenças e desejos que influenciam enormemente nosso modo de pensar e existir.

Estamos tão acostumados a lidar com as máquinas e equipamentos eletrônicos, que têm um botão de “liga e desliga”, que muitos acabam achando que a meditação faria assim com os pensamentos também, instantaneamente. De fato, ela possibilita mudarmos, em minutos, o nosso estado de consciência, com mais relaxamento e presença, mas não significa necessariamente eliminar todos os pensamentos.

A mente comum tem a tendência a se apegar aos pensamentos. Duvida? Então faça agora este teste: não pense (eu disse, não pense) que você está sentado em uma cafeteria bem aconchegante, toca jazz como som ambiente, e um garçom traz para você uma xícara de café quentinha, acompanhada de um pão de queijo bem cheiroso que acaba de sair do forno. Você come um pedaço desse pão de queijo e escuta o suave barulho crocante da casquinha dele enquanto você morde… Passou alguma imagem dessas em sua mente? Muito provável que sim, não é mesmo? É natural que isso aconteça.

Se isso já é capaz de envolver a mente da maioria dos leitores por alguns segundos, imagine então o que um grande volume de comunicação é capaz de fazer em nossas vidas. Somos bombardeados de informações diariamente nas redes sociais, na Internet, nos meios de comunicação, na rua e na nossa própria vida social, afetiva, cultural, financeira e profissional.

Na meditação, o exercício é exatamente o oposto do controle, do fazer. Desista de ter que chegar a algum lugar, de ter algum resultado, ou mesmo que isso seja não pensar em nada. Apenas aceite o momento presente, acenda seu poder de auto-observação e respire mais profundamente. Relaxe. Se abra para o presente, sem julgar o que se passa, se é bom ou ruim, se está conseguindo meditar ou não. Quando os pensamentos vierem, observe e deixe-os ir. Aos poucos, você verá que é possível. É como se diante de um céu nublado, você fosse conseguindo sentir o movimento das nuvens, ver que aos poucos o céu vai aparecendo com mais clareza.

Muito se pode descobrir de si mesmo com a meditação. Não é à toa que ela existe até hoje e possui cada vez mais praticantes no mundo todo. Entre um pensamento e outro, você pode desfrutar de um mar de consciência e paz, que está aí dentro de você.

Viver o agora, assim como é, fresco e vital.

Namastê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *