Se tem uma coisa que aprendi com as terapias é que, quando nossa energia interna flui bem, nossa vida externa passa a fluir  também!

Essa é uma via de mão dupla, na verdade. Quando algo está estagnado em nós, as situações externas, de alguma forma, parecem se estagnar também. E o contrário também pode acontecer, fatores externos podem provocar uma desarmonia interna e, assim, um ciclo desarmônico se estabelece.

É por isso que, hoje, após bons anos trabalhando como massoterapeuta, posso dizer que a massagem é na verdade mais que uma massagem.

A massagem como ferramenta interna

A massagem é um processo terapêutico em que, ao resgatar a fluidez da energia corporal, impulsiona mudanças em toda a vida do individuo. Desde aquela conversa que você está precisando ter com seu parceiro ou sua parceira há tanto tempo e não consegue, até a coragem de se colocar de maneira mais firme diante de seu chefe ou a mudança de emprego que você não se arrisca, mesmo detestando seu trabalho atual.

O ânimo mesmo de ir em busca de algo melhor, de desenrolar tudo que parece estar estagnado na vida, que parece não andar por mais que nos esforcemos, pode se iniciar com um trabalho interno. Basta mudar seu foco de atenção no problema e passar a colocar mais foco em si. Tomar mais consciência do que está se passando internamente e buscar alguma forma de reajustar corpo e mente.

E a massagem é uma ferramenta preciosa neste sentido. A partir do momento que a massagem é capaz de reajustar nossa energia vital, movimentá-la e nutri-la, dissolver possíveis bloqueios, algo passa a se refletir também externamente.

Afinal, a energia é na verdade uma só, seja ela interna ou externa, ainda assim é a energia cósmica universal. Sua forma de se manifestar é que muda, às vezes de maneira mais harmônica e fluida, às vezes de maneira desarmônica e repleta de pontos de estagnações. É nesse aspecto que massagens terapêuticas buscam atuar, de forma a resgatar sua fluidez.

Lembro-me de algo que minha professora de massagem me disse uma vez e que nunca mais esqueci: “quando uma cliente sai de sua massagem e ao chegar em casa resolve arrumar uma gaveta que ela não arruma há anos, isso já é um grande indicativo de que o trabalho foi bom.

A princípio, este exemplo pode parecer muito simples e bobo. Mas, basta pararmos para analisar essa situação com calma e veremos que esses pequenos detalhes da vida são um grande indicativo do nosso estado interno.

Pequenos gestos de mudança ou mudanças radicais surgem de uma mesma organização energética interior.

A famosa frase: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”, reflete muito bem esta ideia.

Se você precisa de mudanças em sua vida, que tal começar a olhar mais perto?

Quando nossa energia está circulando bem, surge um frescor novo. Ideias mais claras surgem. Disposição e coragem também. Uma nova energia parece começar a operar e até mesmo fatores externos parecem se tornar mais favoráveis.

É por isso que tenho tanto apreço e confiança na massagem como uma bela forma de terapia.  Não é simplesmente uma massagem da forma como conceituamos. Seu potencial transformador certamente vai além do que imaginamos!

Já teve experiências assim com massagem ou outras práticas corporais? Conte pra gente aí nos comentários.