Várias vezes, já ouvimos falar dos benefícios da massagem e de como esta forma de tratamento terapêutico pode melhorar nossa qualidade de vida.

Mas, você sabe como, exatamente, uma massagem desencadeia estas melhorias?

Quais são os benefícios da massagem?

Pois bem, um dos efeitos da massoterapia é promover o aumento dos níveis de serotonina, um neurotransmissor fundamental para as funções do nosso organismo, no dia a dia.

Mas, para entendermos esta associação entre aumento de serotonina e as melhorias promovidas pela massagem, precisamos entender o que este neurotransmissor faz em nosso corpo.

A importância da serotonina

Só para termos uma ideia, o ritmo cardíaco, sono, apetite, humor, a sensibilidade à dor, regulação de certos hormônios, os movimentos e funções intelectuais são algumas das funções reguladas pela serotonina.

Desta forma, vários problemas são ocasionados pela concentração ou transmissão inadequadas da serotonina em nosso organismo, seja para mais ou para menos.

Dentre eles, podemos citar: sonolência durante o dia, diminuição do desejo sexual, ansiedade, desejo de comer fora de hora, dificuldade de concentração e memorização, depressão, enxaqueca, insônia e cansaço.

Vamos entender algumas destas relações.

A relação Massagem e Serotonina

Humor

Pra começar, o humor é fortemente influenciado pela concentração da serotonina no corpo. Quando os níveis ou transmissão deste neurotransmissor estão baixos, no organismo, a pessoa tende a sentir-se irritada, mal humorada, impaciente e propensa a chorar por qualquer motivo.

Melhorando os níveis e a qualidade de transmissão da serotonina, isto tende a se aliviar. A agressividade também está ligada a níveis inadequados de serotonina, sendo este neurotransmissor relacionado ao controle de impulsos do sistema límbico.

Dores

A serotonina é também uma importante reguladora das vias sensoriais do nosso corpo, inclusive da via dolorosa. Quando a disponibilidade deste neurotransmissor no organismo aumenta, que é o que alguns medicamentos para depressão e enxaqueca fazem, a disposição do indivíduo também aumenta e as dores tendem a diminuir.

Depressão

Outro problema fortemente ligado a serotonina é a depressão. Quando a transmissão deste neurotransmissor não está tão efetiva quanto deveria, este distúrbio tende a aparecer.

E dentre os inúmeros sintomas provocados por esta doença estão, mais uma vez, a enxaqueca e insônia, além é claro, da tristeza profunda e total falta de disposição, que tendem a ficar mais exacerbados durante os períodos críticos da depressão.

Distúrbio alimentar

Outra relação importante é que, quando os níveis de serotonina estão normais, o indivíduo tende a se alimentar normalmente. No entanto, pessoas com transmissão ou níveis abaixo da média acabam abusando de doces e massas para se sentirem saciados, o que pode levar a doenças como diabetes e obesidade.

Sono

A serotonina é importante também na regulação do sono. Baixos níveis desse neurotransmissor levam ao quadro de insônia. Por sua vez, a diminuição de noites bem dormidas diminui a produção de serotonina, estabelecendo-se assim um ciclo que pode piorar bastante a qualidade de vida do indivíduo.

Podemos ver, portanto, o papel fundamental da serotonina em nossa vida.

Desta forma, fica fácil compreender como a massagem promove tantos benefícios ao elevar os níveis deste neurotransmissor. Benefícios estes que vão muito além de um estado de relaxamento e prazer.

Isto ajuda a explicar as melhorias no estado de humor, na qualidade do sono, na disposição, autoestima e funcionamento geral do corpo, comumente experimentados após uma sessão. É a ciência dando suporte a esta prática tão antiga e ao mesmo tempo tão necessária ao nosso estilo de vida atual.

Seus benefícios já são bem conhecidos há milhares de anos e ainda hoje comprovados por aqueles que têm a massagem como hábito de vida.

A prática da massagem não deveria ser vista como um hobby ou um luxo, mas sim como uma forma natural de se cuidar da saúde! Que tal incluir esta prática na sua lista de hábitos saudáveis?

Emília Souza Araújo