Em outro momento, eu falei sobre a Medicina Integrativa, uma alternativa e complemento à medicina tradicional que  busca trazer outras formas de reduzir os efeitos colaterais das medicações alopáticas convencionais, com intuito de aumentar a sensação de bem-estar e qualidade de vida.

Hoje, quero retomar ao assunto e me aprofundar sobre o tema, trazendo para a nossa conversa, os pilares dessa Medicina Integrativa.

Mas, antes de adentrarmos nesta temática, quero retomar os princípios da medicina integrativa, abordados anteriormente:

  • o individuo é ativo, em seu processo de cura e recuperação;
  • o médico vê individuo não somente como paciente (aquele que se submete, passivamente, sem criticar) mas como também um cliente, como um todo, de forma ampla e integral, que é compreendido nos aspectos de sua mente, corpo, estilo de vida e alma.

Nas abordagens integrativas, o foco sobre a doença é retirado. Médicos, terapeutas e clientes tornam-se parceiros no tratamento, no processo de cura e na otimização da qualidade de vida, principalmente.

A Organização Mundial da Saúde, fala que a qualidade de vida pode ser definida como: a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistema de valores, nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações.

Mas, vejamos bem: a qualidade de vida é única para cada pessoa. Não dever ser limitada somente à realização, por meio de bens materiais e nem mesmo a realizações pessoais ou profissionais.

O conceito é, infinitamente, amplo e depende da perspectiva e momento de cada um.

Pilares da Medicina Integrativa

Dentro deste universo de pilares, mandamentos, escolhi alguns que possam começar a ampliar sua forma de enxergar qualidade de vida:

Alimentação

Além da preocupação com escolha de alimentos saudáveis, escolhidos adequadamente à sua condição e de acordo com as orientações específicas, precisamos entender que os alimentos também fornecem informação para as células, determinando como devem funcionar, modulando o seu comportamento.

E, se o que foi ingerido, não for identificado como alimento por nosso organismo, por ser uma substância estranha ou artificial ou cheia de tóxicos, perdemos a manutenção deste equilíbrio.

Movimento

Tão simples como comer, estar em movimento, ainda que para realização de atribuições básicas do cotidiano, também estão relacionadas à percepção de bem-estar e até felicidade.

Se você faz atividade física de forma regular, melhor ainda, porque leva o corpo a produzir inúmeras substâncias de bem estar e outras responsáveis pela manutenção do equilíbrio fisiológico do organismo.

Muitos de nós passamos a maior parte do tempo sentados e nem percebemos. Ficando mais atentos em estratégias que nos coloquem em movimento, mesmo que passivo, como alongamento, meditação, quando associados a prática de atividade física, além de promover saúde, estarão também ajudando a prevenir doenças.

Relacionamentos

Encontrar as pessoas que amamos como os amigos, familiares, tem um papel fundamental na nossa vida.

Não guardar ou cultivar sentimentos como: mágoa, rancor, ódio. Querendo ou não querendo, concordando ou não, o fato é que só nos deixamos atingir por aquilo que encontra eco dentro de nós mesmos.

Só somos tocados por aquilo que sintoniza conosco. Ao Substituirmos estes sentimentos por outros benefícios, vamos transformando em nossas convivências diárias a troca energética de emoções mais saudáveis e vamos amplificando somente o que há de melhor dentro de nós mesmos.

Relação com o meio ambiente

Contemplar e interagir com a natureza, tem um efeito benéfico no nosso cérebro. A sensação de calma gerada, ajuda a amenizar a dor e ajudar no estresse crônico do dia a dia.

Temos estudos científicos mostrando que, o simples fato de olhar para um impresso com a imagem de uma paisagem de natureza pode trazer bem estar. Façamos disso um hábito e não apenas em ocasiões especiais, como férias.

Se puder, escolha trajetos no seu dia a dia onde você possa contemplar mais as belezas naturais ao seu redor. Se puder realizar atividades físicas ao ar livre ou em ambientes cercados pela natureza, melhor. Se não tiver jeito, feche os olhos por alguns minutos e imagine que você está naquele lugar tão gostoso, perceba os detalhes e sinta tudo isso ao seu redor.

Controle do estresse

Precisamos parar de colocar o estresse como doença do século, mas tentar entender se conseguimos agir de forma proativo aos desafios do mundo moderno, que tem tentado impor um modelo de vida à nossa mente, aonde é difícil encontrar paz no meio do trânsito, violência e questões financeiras.

Precisamos treinar a mente com a prática de técnicas especificas que nos levam ao relaxamento e serenidade. São tantas posso citar algumas yoga, meditação, mindfulness, Tai-Chi. Atividades que, no início, você pode aprender com um instrutor e, com o tempo também realiza-las sozinho.

A ciência mostra que elas trazem benefícios como redução da ansiedade e e nos ajudam a equilibrar os mecanismos de ajuste ao estresse, sem falar de favorecerem a percepção de bem estar.

Sono

Os dias parecem não ter horas suficientes para resolvermos tudo que precisamos e o ser humano tem dormido cada vez menos.

É através dele que revigoramos nossa energia para o dia seguinte, momento que o corpo “coloca a casa em ordem”. Pequenos detalhes, como escurecer e acalmar o ambiente e desligar aparelhos eletrônicos antes de deitar, ajudam a dormir melhor.

As técnicas de relaxamento, meditações, guiadas, orações, mantras, também podem ser uma boa opção para ajudar neste processo de desligamento.

Espiritualidade

Encontrar nossa conexão com o sagrado, não importa o meio ou o que, ou em que você acredita, é fundamental.

Existem pessoas ( terapeutas) com habilidades sensoriais e extra-sensoriais baseadas na bondade, no amor na fé, na positividade que tem a capacidade de nos ajudar a estabelecer esta conexão.

A psicologia, tem evoluído também, de forma a abordar estes aspectos e nos conduzir a estes caminhos. A percepção da qualidade de vida, esta também Intimamente relacionada com estes momentos de dificuldade e superação, e principalmente no auto desenvolvimento interior.

Momentos de bem-estar

Pensamos muito no outro e, muitas vezes, nos colocamos em segundo plano. Precisamos escolher momentos do dia, dedicados exclusivamente ao que nos definimos como bem estar.

Pode ser separar um tempo para ouvir uma música, tocar um instrumento musical, fazer uma massagem, ler, meditar, praticar alguma atividade física, ser voluntário em um hospital, ou simplesmente fechar os olhos e agradecer por todas as coisas que aconteceram com você, que estão acontecendo e que ainda virão.

Sinta todas a energia positiva de entender o quanto você é importante para a manutenção de equilíbrio de todo o universo.