“Preocupe-se com o vazio de uma vida ocupada demais”. Em letras coloridas e maiúsculas, esse era o recado de um pôster fixado na parede de um comércio na esquina.

Alguns dias depois, era essa mesma frase que aparecia no feed do Instagram, publicada por uma influenciadora digital, que gosta de compartilhar o seu estilo de vida saudável. Seja no ambiente físico ou digital, parece que a busca pela essência tem sido um questionamento constante feito pela nossa sociedade.

Menos julgamento, mais verdade

Está viajando demais? Deve estar rico. À toa em plena quarta-feira? Desempregado, coitado. Não sai da balada? Sofrendo pela ex. Em casa na sexta-feira? Sofrendo também. Muda de emprego toda hora? Não dá pra confiar, inconstante demais. Promovido no trabalho com tanta rapidez? “Peixada”. E por aí vão as fofocas do elevador e as conversas na mesa de bar julgando a vida alheia sem ao menos um argumento razoável que justifique esse hábito nada saudável.

Estamos precisando pensar e rever o comportamento do nosso “eu”, saber quais são as nossas verdadeiras preocupações e aflições. Será que o tempo gasto pensando no que o “outro” está fazendo ou deixando de fazer não poderia ser gasto – ou melhor, investido – nas melhorias para você mesmo? Você ganha. E quem con(vive) com você também. Será que o tempo julgando a atitude do outro não é uma ação vazia, sem profundidade, para compensar algo que está faltando na sua própria vida?

Será que o tempo pensando nas respostas que dará à sociedade por não ter passado naquela prova ou por não ter casado ainda com aquele namorado. não pode ser investido em ações somente para o seu bem? Sabe o ditado de que “ninguém paga as suas contas”. Pois é, ele nunca fez tanto sentido.

O tempo mais valioso é o que você gasta com você mesmo

Colocar a cabeça no travesseiro. todas as noites. pensando porque ainda não está ganhando aquele salário dos sonhos, porque ainda não comprou aquele apartamento de revista, porque ainda não encontrou aquela metade da laranja… Faça um exercício simples e reflita sobre ele: o que você ainda não alcançou? O que ainda gostaria de alcançar? Dessas respostas, quais delas você realmente almeja? E quais você só pensa em conquistar para satisfazer uma vontade alheia ou uma expectativa da sociedade?

Somente VOCÊ pode ser capaz de denominar os seus sonhos, as suas vontades e preocupações. Invista o seu tempo – bem tão precioso e valioso – no que realmente importa para VOCÊ. Não desperdice as suas vinte e quatro horas que lhe são dadas diariamente. O tempo mais valioso é aquele gasto com você mesmo: viva a sua essência & seja essencialmente feliz. Vale a pena!

Quer inspirar alguém com essas reflexões? Compartilhe!

 

“O outro não o preenche.

Preenchimento é interno.”

Osho